FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Fetracom

Governo prevê salário mínimo de R$ 1.002 para 2019

Publicado em : 16/04/2018

Fonte : Com Reuters e Agência Brasil -

O governo propôs salário mínimo de R$ 1.002 em 2019, informou o Ministério do Planejamento nesta quinta-feira (12). O valor representa um aumento de R$ 48 em relação ao salário mínimo atual, de R$ 954. Com isso, o mínimo passaria de R$ 1.000 pela primeira vez. 

A proposta foi anunciada durante apresentação do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias do ano que vem. O ministério também projetou salário mínimo de R$ 1.076 para 2020 e de R$ 1.153 em 2021. Os valores são estimativas e ainda precisam ser aprovados. 

O salário mínimo é reajustado com base na inflação do ano anterior, levando em conta o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), mais o aumento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes (no caso, 2017).

O valor é usado como referência para os benefícios assistenciais e previdenciários, como o abono salarial, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e as aposentadorias e pensões do INSS.

Caso aprovado, o valor de R$ 1.002 para o mínimo de 2019 representará um aumento de 5,03%. Em 2018, a correção foi de 1,81% - o salário passou de R$ 937 em 2017 para R$ 954. 

No início do ano, o Ministério do Planejamento afirmou que a correção do salário mínimo em 2019 compensaria o reajuste abaixo da inflação em 2018. 

PIB cresceu 1% em 2017

A atual regra de cálculo do salário mínimo, que leva em conta a inflação e o crescimento da economia, é garantida por lei até 2019. Em 2017, o PIB cresceu 1%. 

No caso de aposentados e pensionistas do INSS, a regra vale apenas para os que ganham até 1 salário mínimo. Quem ganha mais, recebe apenas o reajuste equivalente à inflação.  

A LDO define os parâmetros e as metas fiscais para a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Pela legislação, o governo deve enviar o projeto até 15 de abril de cada ano. 

Mínimo deveria ser de R$ 3.706,44, diz Dieese

A lei que criou o salário mínimo foi assinada em 1936, pelo então presidente Getúlio Vargas. A legislação definiu o valor como a remuneração mínima devida ao trabalhador, capaz de satisfazer suas necessidades de alimentação, vestuário, habitação, higiene e transporte.

Porém, segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), o valor está longe disso.

Em março, por exemplo, o Dieese calculou que o salário mínimo ideal para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.706,44. O valor é 3,89 vezes o salário atualmente em vigor.

 


Sindicato tem vitória na luta pelo imposto sindical

Sindicato tem vitória na luta pelo imposto sindical

 18/01/2019

 Blog Baguete

O Sindpd, sindicato paulista que é o maior do setor de TI no país, obteve uma vitória para sua posição de que só funcionários sindicalizados devem ser beneficiados pelos acordos coletivos negociados pelo sindicato. A procuradora do Trabalho [...]





Novo secretário deve buscar aprimoramento do SINE

Novo secretário deve buscar aprimoramento do SINE

 10/01/2019

 Blog Justiça em Foco

A Secretaria de Políticas Públicas de Emprego será comandada por Fernando de Holanda Barbosa Filho (foto), pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e economista formado pela UFRJ com PhD pela New York University. Apesar do bom currículo, o [...]




MTE: Ação no STF pede volta de pasta

MTE: Ação no STF pede volta de pasta

 09/01/2019

 Estado de São Paulo

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) ingressou ontem no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação direta de inconstitucionalidade contra dispositivos da primeira medida provisória do governo de Jair Bolsonaro (PSL) que extinguiu o Ministério do [...]






Ação da Via Varejo cai com troca de comando

Ação da Via Varejo cai com troca de comando

 27/12/2018

 Estado de São Paulo

A troca de comando da Via Varejo (dona da Casas Bahia e Ponto Frio) - a quarta desde 2014 - e a decisão de seu controlador, o grupo francês Casino, de vender sua participação na companhia na Bolsa, caso não encontre um comprador para o negócio [...]