FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Filiados

Comércio foi o grande gerador de empregos em 2017, segundo o Caged

Publicado em : 26/01/2018

Fonte : Folha de São Paulo -

O comércio foi o setor que mais criou postos de trabalho com carteira assinada no ano passado e a construção civil a que mais eliminou, mostram dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta sexta-feira (26).

Conforme a Folha antecipou, o Brasil encerrou 2017 com mais demissões do que contratações, mas esse saldo negativo foi muito menor do que os registrados em 2015 e 2016.

Em dezembro, o saldo de emprego formal ficou negativo em 328,539 vagas. Com o fechamento desses postos de trabalho, o ano de 2017 acumula um resultado negativo de 20,8 mil vagas.

O melhor resultado foi do comércio, que contratou 40 mil pessoas a mais do que demitiu ao longo do ano passado. O setor é seguido pela agropecuária (+ 37 mil) e serviços (+36,9 mil).

Todos os outros setores eliminaram postos de trabalho formais em 2017, com destaque para a construção civil (-103,9 mil), indústria de transformação (-19,9 mil), indústria extrativa mineral (-5,8 mil), serviços industriais de utilidade pública (-4,5 mil) e administração pública (-575).

POR REGIÃO

O Sudeste e o Nordeste foram as regiões que mais eliminaram vagas, mostram os dados, com 76,6 mil e 14,4 mil postos de trabalho formais a menos, respectivamente.

O Norte teve saldo negativo de 26 vagas, enquanto que o Centro-Oeste e o Sul criaram, nessa ordem, 36,8 mil e 33,3 mil postos de trabalho.

O Rio de Janeiro, que enfrenta uma forte crise fiscal, foi o Estado que mais fechou vagas (-92,1 mil), enquanto que Santa Catarina foi a unidade da federação que mais criou empregos com carteira.

POR FAIXA ETÁRIA

A maior parte dos empregos eliminados no ano passado foi na faixa etária entre 50 a 64 anos (-379,9 mil), seguido pela faixa entre 40 e 49 anos (-206,6 mil), entre 30 e 39 anos (-187,5 mil) e 65 anos ou mais (-4,9 mil).

As faixas etárias que mais criaram vagas foram a de entre 18 e 24 anos, com as contratações superando as demissões em 652,7 mil, e até 17 anos, com o saldo positivo em 171,1 mil.


Varejo perde  R$ 19,5 bilhões por danos em produtos e furtos

Varejo perde R$ 19,5 bilhões por danos em produtos e furtos

 24/09/2018

 Agência Brasil

O varejo brasileiro perdeu, em média, 1,29% do faturamento no ano passado em prejuízos com falhas no manuseio de produtos, vencimento de mercadorias ou furtos. Os dados são da Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) e reuniu 100 [...]


Inflação das tarifas tira renda dos consumidores

Inflação das tarifas tira renda dos consumidores

 24/09/2018

 Uol Economia

Apesar de a inflação nos últimos meses ter batido recordes de baixa a ponto de terminar agosto com resultado negativo de 0,09% - a menor taxa em 20 anos para o mês -, muitos brasileiros, especialmente os de menor renda, não têm sentido esse [...]







Saiba quais são os direitos do consumidor endividado

Saiba quais são os direitos do consumidor endividado

 14/09/2018

 Uol Economia

  O consumidor que perdeu o controle das contas e acabou com o nome sujo também tem seus direitos garantidos. Segundo a legislação, as empresas podem solicitar que as entidades de proteção ao crédito, como SPC Brasil e Serasa [...]




SECEG PROMOVE SEMINÁRIO DO E-SOCIAL

SECEG PROMOVE SEMINÁRIO DO E-SOCIAL

 10/09/2018

 SECEG

  Seminário: Análise Prática da Implantação do E-Social   Data: Próxima quinta-feira, dia 13   Horário: No período da tarde das 14h às 18h   Investimento: Apenas R$ [...]


Crise faz mulheres se virarem com comércio ambulante

Crise faz mulheres se virarem com comércio ambulante

 10/09/2018

 Folha de São Paulo

Vendedora ambulante Lúcia Severina No começo de 2015, Lucia Severina, 49 anos, não encontrava mais trabalho como diarista em São Paulo. Na época, a crise econômica já se aproximava e, apesar da procura, as oportunidades estavam escassas. Para [...]


Reforma trabalhista trouxe mudança para ações

Reforma trabalhista trouxe mudança para ações

 10/09/2018

 O Popular

Prestes a completar dez meses (entrou em vigor em 11 de novembro do ano passado), a reforma trabalhista alterou profundamente o modo de pedir na Justiça do Trabalho. Agora, as ações estão mais enxutas, sob todos os aspectos, tanto pelo número de pedidos [...]