FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Filiados

Vendas do comércio goiano ficam estáveis em julho

Publicado em : 12/09/2019

Fonte : O Popular -

Após dois meses registrando crescimento, o volume de vendas do comércio varejista no Estado de Goiás ficou estável em julho na comparação com junho, quando registrou ganho de 1,6% (em março, avançou 0,4%). Ainda assim, no ano, o resultado é positivo, alta de 0,8%. No acumulado de 12 meses, o avanço é ainda mais expressivo, 1,9%. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre os setores que se destacaram no mês de julho, o comércio de móveis apresentou a terceira maior alta da série histórica (23,3%). As vendas de veículos, motos, partes e peças atingiram o maior avanço para o mês desde julho de 2013, 15,5%. Quem também apresentou bons números foi o comércio de materiais de construção:  8,2%, o maior avanço desde março de 2015.

No País, se observou alta de 1% na mesma comparação (julho x junho). Dos 27 Estados, 19 apresentaram avanço no volume de vendas do comércio varejista. Mato Grosso registrou o melhor resultado (5,4%) e Amazonas o pior (-1,9%).



Litro de gasolina tem R$ 2,05 em impostos

Litro de gasolina tem R$ 2,05 em impostos

 17/02/2020

 O Popular

Os motoristas goianos pagam cerca de R$ 2,05 de impostos em cada litro de gasolina adquirido em postos do Estado, o 5º maior valor do País. Com a alíquota de 30%, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é o tributo que tem [...]





Via Varejo é condenada  a pagar intervalos intrajornada

Via Varejo é condenada a pagar intervalos intrajornada

 06/02/2020

 O Popular

Uma trabalhadora da Via Varejo S/A, dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio, vai receber como horas extras os 15 minutos de intervalo entre o fim da jornada normal e início do trabalho extraordinário não usufruídos nos anos anteriores à reforma [...]










Trabalhadora chamada de

Trabalhadora chamada de "lenta" ganha ação

 27/01/2020

 TRT-3

O julgamento do caso foi proferido pela 10° turma do TRT da 3° região (TRT-3). A empresa foi condenada ao pagamento de R$ 10 mil reais como indenização a uma ex-funcionária que ouviu da sua gerente os nomes de tartaruga e lenta, como forma de referir-se a [...]